Projeção de aterros sustentáveis

Aterros sanitários sustentáveis

O aterro sustentável torna passivo um ativo ambiental.

A Tecnologia de Aterro Sanitário (Landfill) Aeróbico consiste em um processo que estabiliza os resíduos muito mais rápido que os tradicionais métodos anaeróbicos. Desta forma, é possível diminuir o risco, aumentar os benefícios econômicos e expandir a vida útil das instalaçóes.

Aterros sanitários sustentáveis (landfill)

Em vez de esperar os compostos orgânicos se degradarem naturalmente – fato que poderia demorar aproximadamente uns 30 anos – a matéria é tratada por meio da injeção de ar e umidade diretamente nos resíduos.

Neste caso, a decomposição demora entre 1 e 3 anose gera um material não tóxico que permite ser extraído da terra, recuperado e reutilizado. Por sua vez, pode liberar até 90% de espaço, evitando a tramitação de novas licenças e expansões, e assegurando uma maior vida útil das instalações, fato que cria maiores lucros.

Os benefícios tanto ambientais como econômicos,
são extremamente significativos
:

Considere que um Aterro Sanitário Sustentável (Landifll) de resíduos sólidos:
Não provoca odor
Não libera metano
Não forma lixiviados com alta toxicidade


Projeção de aterros sustentáveis
  • Eliminam toda a produção de gás metano e mostram ótimos resultados dentro das quatro semanas.
  • Eliminam a necessidade de tratamento dos lixiviados e sua disposição (consideradas as despesas que eles representam) em mais de 90% dos Aterros Sanitários.
  • Eliminam os VOCs (Compostos Orgânicos Voláteis), gases estufa e outros maus cheiros.
  • Projetado com a engenharia necessária para eliminar tanto a contaminação das águas subterrâneas quanto a necessidade e custos dos monitoramentos.
  • Eliminam ou diminuem os custos de encerramento por causa da longa vida útil das instalações, ao passo que outorgam uma melhor proteção ao meio ambiente.
  • Permitem que o solo seja reutilizado em um uso diferente ao do aterro sanitário.

Um Aterro Sanitário que reduza imediatamente os riscos e elimine a necessidade de novas licenças e expansões, e que ao mesmo tempo aumente a vida útil das instalações, recupere o espaço livre e crie lucros adicionais.

Antecedentes

Foi aceito há tempos o fato de a degradação aeróbica ser a forma natural de reciclar matéria orgânica novamente à estrutura básica da vida.  Este processo é feito por micro-organismos naturais que se criam em nosso ambiente e estão presentes em todo o planeta.

Durante os últimos 50 anos, o homem vem interferindo neste processo natural ao cobrir e reduzir a quantidade de umidade nos aterros. O resultado foi: degradação mais lenta, maus cheiros, produção de gás combustível, liberação de lixiviados e a potencial contaminação do ar, da água subterrânea e do solo.

Geralmente os aterros são anaeróbicos (sem oxigênio) porque, se ele existir, seria rapidamente consumido pela atividade microbiana. De fato, a típica visão para a disposição dos resíduos sólidos é cobrir o aterro para evitar o ingresso de ar e água, assegurando que o aterro fique anaeróbico. O resíduo é soterrado em condições que favorecem a degradação anaeróbica quando a umidade se faz presente. Essa degradação cria os ácidos que depois vão dissolver os contaminantes (inclusive os metais pesados) e produzir os lixiviados que passarão ao solo e à água subterrânea, caso a membrana tivesse algum vazamento.

Quando a degradação aeróbica estiver realizada, os resíduos orgânicos do aterro estarão estabilizados e não serão uma perigo para o meio ambiente.

A degradação aeróbica reestabelece o processo natural dentro do aterro.
Os resultados são:
rápida degradação dos resíduos,
estabilização de resíduos,
diminuição de odores e gases combustíveis,
menor formação de lixiviados e
diminuição da possibilidade de migração de potencial contaminação.

O Aterro Sanitário pode ser encerrado sem apresentar problemas no futuro, ou facilmente retirado para a reciclagem da compostagem e material não degradável para sua reutilização.

Degradação aeróbica em unm aterro sanitário

Projeção de aterros sustentáveisA teoria básica da degradação aeróbica é bem simples.

No entanto, é complexo o fato de manter o controle do processo aeróbico no Aterro Sanitário. São precisos adequados e modernos controles e equipamentos de monitoramento, além de um amplo conhecimento da microbiologia, o que permite que a degradação orgânica possa se realizar. Para se promover uma efetiva degradação aeróbica, devem se encontrar em proporções adequadas as seguintes condições: umidade para manterá degradação aeróbica; oxigênio para manter os micro-organismos aeróbicos;  nutrientes para sustentar o crescimento dos micro-organismos; matéria orgânica para degradar.

Por esse motivo, para estabelecer as condições aeróbicas, é necessário acrescentar água para controlar o conteúdo de umidade; deverá se injetar ar para fornecer oxigênio; terão de ser somados os nutrientes para assegurar o correto crescimento microbiano e, finalmente, terão de se adicionar os micro-organismos para aumentar o crescimento microbiano.

Projeção de aterros sustentáveisTem de ser verificadas as condições iniciais do Aterro Sanitário.
A formação típica necessária para um Projeto Aeróbico inclui:

caracterização dos resíduos no Aterro Sanitário;
ensaios de laboratório para determinar o grau de degradação orgânica;
retenção de umidade no Aterro Sanitário;
geometria do resíduo;
características físicas do Aterro Sanitário;
entorno (rios, lagos, comunidades, etc.);
água e energia disponíveis.